Atualize seu Navegador

Detectamos que você está utilizando uma versão desatualizada do Internet Explorer. Para uma melhor visualização de nosso site indicamos que atualize seu navegador.

Na Mídia

Revista PEGN

PEGN CapaPEGN Interno

DIRETO AO PONTO
Em todas as ruas com serviços inovadores, que valorizam a publicidade em ônibus, empresa registra crescimento de 50% no faturamento.

Quem circula pelas ruas das grandes cidades já se acostumou com eles e os considera parte da paisagem. Mesmo assim, às vezes se surpreende com a variedade de cores, formatos e apelos que os anúncios publicitários em ônibus urbanos vêm mostrando nos últimos tempos. Não é para menos. Graças principalmente às companhias que atuam na Internet, os anúncios movimentaram muito dinheiro no ano passado, permitindo índices expressivos de crescimento para as empresas que atuam na produção e veiculação dessas peças de propaganda.

Esse é o caso da paulistana Lamarca 3, que viveu em 2000 a melhor fase de sua historia recente. Naquele período,seu faturamento chegou a R$ 4,5 milhões,que significou um acréscimo de 50% em relação a 1999. Ela integra um grupo seleto, de aproximadamente 40 firmas de pequeno porte, a maioria localizada nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Juntas, segundo o presidente da Associação Nacional das Empresas de Publicidade em Ônibus (Anepo), Antonio Carlos Aquino de Oliveira movimentaram R$ 50 milhões em 2000, devendo crescer mais 20% este ano, caso administrações municipais não limitem a atividade, como ameaça fazer a de São Paulo.

O engenheiro civil Rogério Lamarca, sócio da Lamarca 3, ao lado do pai e do irmão, faz planos mais modestos, já descontando do futuro a euforia que fez com que as empresas da Internet investissem pesado em propaganda no início do ano passado. Para ele, “se conseguirmos encerrar 2001 com o mesmo faturamento do ano passado já será uma grande vitória”.

Em sua opinião, parte do crescimento da Lamarca 3 pode ser atribuída aos novos serviços  oferecidos, como “envelopamento” e cobertura de toda parte traseira dos ônibus com adesivos. Para se ter ideia, em apenas três anos a receita mensal da empresa passou de 150 mil a 180 mil reais em 1997, para 350 mil a 400 mil reais em 2000.

NOVO ALVO – Já na época de sua criação, em 1997, conta o empresário, a empresa se destaca por sua atitude inovadora. Foi dela, por exemplo, a ideia de substituir as placas de madeira compensada, sobre as quais os anúncios eram impressos, pelos adesivos, colados diretamente na estrutura dos ônibus.

Ate 1992, a clientela se resumia a pequenos estabelecimentos comerciais. A partir daquele ano, as agências de publicidade passaram a ser o alvo. “Começamos foi com a Nestlé. Depois, vieram outros grandes anunciantes”, lembra Lamarca. Hoje, quase 80% das peças são de grandes anunciantes de diferentes ramos, representados por cerca de 25 agências de publicidade que mantém contratos com a empresa. Mensalmente, 1200 ônibus circulam por toda a cidade de São Paulo e por mais 10 municípios do interior paulista com os adesivos da Lamarca 3.

Mas seus dirigentes querem mais e investem nisso. Uma das novidades é um software que custou R$100 mil e vai auxiliar seus clientes na definição da quantidade de ônibus necessária para cobrir determinada região de interesse dos anunciantes.

“Queremos mostrar que não é por acaso que nossa empresa é considerada uma das melhores do país”, avisa o empresário.

 CÁTIA RODRIGUES.